Surf garret mcnamara surfando onda gigante em nazaré - adrenalina 10

Publicado em Maio 29th, 2017 | por Lalenya Yehuda

0

As ondas gigantes mais surfadas no mundo

Por que essas ondas gigantes são tão assustadoras e perigosas? Paredes imensas e irregulares, volumes de água absurdos, fortes correntezas, pedras pontiagudas, fundos rasos de corais afiadíssimos e muitos tubarões são alguns dos motivos.

E mesmo assim tem um monte de big rider (surfista maluco) (surfista de onda grande) que procuram loucamente e não pode ficar sabendo de um swell grande entrando nesses spots que larga tudo e sai correndo atrás dessas montanhas d’água.

Mas não se engane amigo, não é só se entediar com as ondas de 2 metros e sair correndo pra Nazaré para abrir seus horizontes. Pra se realizar com uma overdose de adrenalina surfando essas belezuras é preciso ser um surfista experiente, muita dedicação, cursos, treinos pesados, equipamentos especiais, uma equipe de apoio e muita coragem. Fora que é bem difícil dropar essas ondas sem o town-in, que é quando o surfista é puxado por um jet-ski pra entrar na onda.

O surf de ondas gigantes está cada vez mais em alta. Todo ano o WSL junta a nata dos big riders para a premiação que substituiu a Billabong XXL Awards, a Big Wave Awards (premiação das ondas grandes), que é como se fosse o “Oscar das ondas gigantes”. São seis categorias ao todo: Onda do ano, maior onda na remada, maior onda, maior tubo, melhor performance e vaca do ano. Carlos Burle, Maya Gabeira e Danilo Couto são alguns dos maiores nomes brasileiros que representam nas ondas grandes.

 

Teahupo’o

bruce irons vacando em teahupoo - onda gigante

Apenas Bruce Irons vacando em Teahupo’o

Fica no Taiti – Polinésia Francesa. A onda mais pesada e uma das mais desafiadoras do mundo com certeza. Quando o swell fica grande parece mais que o mar tá se dobrando no meio do que uma onda. Quebra a 1km de distância no outside, em cima de uma bancada de coral afiadíssimo e muito raso, menos de meio metro de profundidade. Expliquei como ela é formada aqui no post dos 11 picos do WCT. Cinco mortes contabilizadas desde 2000 e a tradução em português é “muralha dos crânios quebrados”. Não preciso falar mais nada né?

Ghost Tree

Localizada na costa de Pebble Beach no norte da Califórnia, Ghost tree é o pico mais gelado e infestado de tubarão branco do mundo.  geralmente uma onda de town-in, essa direita tirou a vida do Renomado surfista californiano Peter Davi. Precisa de um swell gigantesco pra quebrar, e quando ele vem do Pacifico Norte, as ondas chegam a 24m de altura e 6m de largura. Ou seja, essa é pra quem não liga para ondas gigantes e nem água gelada né!

Alistair Craft descendo onda gigante em Ghost Tree

Alistair Craft em Ghost Tree

Cortes bank

Fica numa ilha submersa literalmente no meio do oceano, à 160Km de distância da costa da Califórnia. Cortes Bank não quebra frequentemente, mas quando quebra é um verdadeiro monstro. Fora a distância da costa e a dificuldade de acesso, outros fatores que também fazem parte desse cenário são os navios afundados, tubarões brancos e correnteza. A força e a velocidade dessa onda são imensuráveis. Se você tem medo de tubarão e fortes correntezas, essa onda definitivamente não é pra você…

danilo-couto-em-cortes-banks

Danilo Couto em Cortes Bank (2012)

Dungeons

Fora de HoutBay e à alguns km de Cape Town, na África do Sul, fica Dungeons. Essas direitas imensas e geladas quebram à mais ou menos 2km offshore da costa em cima de pedregulhos espalhados no fundo, perto de uma colônia de focas e consequentemente de um dos locais mais infestados de tubarão branco doplaneta. E só dá para chegar de barco o que dificulta bastante o acesso. Também conhecido pelos caldos mais longos devido a profundidade das águas e força das ondas. Concluindo, você pode ser esmagado numa pedra, ou afogado num caldo infinito ou comido por tubarões brancos numa água congelada.

Mark Healey despencando da onda gigante de Dungeon

Mark Healey despencando de uma ondinha em Dungeon

Nazaré

Nazaré fica localizada na Praia do Norte ao norte de Lisboa, Portugal. Foi onde o americano Garret McNamara surfou em 2011 apenas a maior onda do mundo registrada até hoje, com nada mais, nada menos que 30 metros. Em 2013 Carlos Burle surfou uma onda que tinha entre 32m e 35m, porém como ele não cumpriu todas as exigências ela não foi considerada como novo recorde, como você pode conferir no link da noticia.  O “canhão de Nazaré“, um cânion submarino a poucos km de distância da costa e a diferença de profundidade das águas desse cânion em comparação às da plataforma continental que é rasa, é o principal responsável por essas ondas que mais parecem tsunamis. Fora as correntes fortíssimas que acompanham essas montanhas d’água. Belo combo não? Então se tamanho pra você não é documento, vai lá! rsrs

Andrew Cotton surfando uma onda de 24 metros em Nazaré

Andrew Cotton descendo uma onda de 24 metros em Nazaré

Jaws

Também conhecido como Peahi, o Everest do surf gigante fica localizado na costa norte da ilha de Maui, no Hawaii. Todo ano, quando entra o famoso swell, certamente lá estarão os maiores big riders do mundo batendo ponto. Surfadas somente de town in, são direitas e esquerdas que chegam a 21 metros de altura (não foi à toa que apelidaram essa onda de “Jaws”, mandíbulas de tubarão em inglês), são conhecidas pela sua excelente qualidade e formação, muitas vezes tubulares. São também ondas extremamente rápidas, alcançando uma velocidade de 48 km/h.  E melhor, se você resolver não se aventurar, dá pra assistir esse espetáculo lá de cima do penhasco, de camarote.

Shane Dorian surfando onda gigante em Jaws

Shane Dorian surfando em Jaws – Hawaii

Mavericks

Mavericks fica no norte da Califórnia. Não era considerada uma onda surfável por ser perigosa demais. Até que Jeff Clark, que cresceu assitindo Mavericks de sua escola em Half Moon Bay, resolveu surfá-la em 1975 aos 17 anos de idade. A onda que tem um lip que chega a ter 7 m e 24m de altura e tirou a vida dos surfistas Mark Foo e Sion Milosky é gelada, cheia de tubarão branco e tem um lip tão pesado que consegue segurar um surfista embaixo d’água por muito tempo. Outra onda que é só para surfistas que gostam de água gelada e não liga muito pra tubarão…

Peter Mel surfando em mavericks

Peter Mel descendo Mavericks

Punta de Lobos

Essa esquerda localizada em Pichilemu, no Chile é famosa por ser considerada o pico mais consistente de ondas grandes do mundo. Porém, não é somente isso que faz dela uma onda conhecida mundo a fora, ela também é considerada uma das ondas mais perigosas. Além da temperatura da água ser gélida e das fortes correntes, o drop inicial é feito atrás de enormes pedras conhecidas como Los Morros, e se você não conseguir dropar, as ondas que chegam a 12 metros podem te lançar e eu diria, te esmagar nas pedras. Tipo dropar ou morrer… Mas se você curte umas pedras essa é pra você!

Um surfista descendo uma onda gigante em Punta de Lobos

Um corajoso descendo a gigante gelada de Punta de Lobos

Banzai Pipeline

Fica na costa norte da Ilha de Oahu, no Hawaii, USA. Com sete mortes já registradas em Pipe é certamente uma das ondas mais perigosas do mundo. O problema aqui além do drop ser loucamente vertical é que a onda gigante quebra em um fundo de coral completamente desigual, muito raso e super afiado, ou seja, você não sabe onde estão as pontas que podem te rasgar. Ah, e o crowd. Sim, lá é considerado o pior crowd das ondas gigantes, que pode até te render uma briga quando sair da água dependendo de quem você tentou dividir a onda… Rola um certo localismo também. Se quiser ler mais um pouco de Pipe, escrevemos sobre ele no post das 11 etapas do mundial de surf.

Surfista makua Rothman dropando uma onda gigante em pipeline

Makua Rothman dropando em Pipe

Shipstern Bluff

Também conhecida como Devil’s Point cuja tradução é Ponta do Diabo. Se não a onda mais perigosa, diria que certamente a mais desafiadora e selvagem do mundo. Localizada na costa oriental da Tasmania a mais ou menos 30Km da costa da Tasmania, ou seja, bem isolada. E gelada, muito gelada. Uma direita gigante e pesada que quebra numa laje de granito em frente  a um penhasco com algumas pedras ao redor. Mas o mais desafiador é a quantidade de degraus bizarros que a parede dessa onda tem, elevando ao máximo a dificuldade desse drop. E como se não bastasse tudo isso ainda tem um ou outro tubarão branco por ali. Resumindo, pra surfar essa onda doida tem que ser doido.

Ryan Hipwood surfando uma onda gigante em Shipstern Bluff

Ryan Hipwood surfando em Shipstern Bluff

Puerto Escondido

Localizado em Oaxaca, no México é conhecido como o Pipeline mexicano e como um dos fundos de areia mais perigosos do mundo. Talvez seja a onda que tirou a mesma quantidade de vidas que Pipeline. O perigo aqui está nas fortes correntes e na ausência de canais. O formato específico do fundo de areia vai ditar se a onda vai abrir em um tubo lindo ou fechar tornando a imprevisível muitas vezes. Não basta rolar o swell gigante, o formato do fundo também tem que cooperar. Conseguir dropar remando essa gigante que pode passar bastante de 6m já é uma conquista por si só. Ah e sobreviver o caldo se vacar também com certeza.

Pedro Scooby descendo onda gigante em Puerto Escondido

Big rider Pedro Scooby encarando um swell giga em Puerto Escondido

Belharra

Os corais de Belharra fica há mais ou menos  2 Km de distância da costa francesa, perto da fronteira com a Espanha. Não tão mortífera quanto as outras ondas desse post, mas uma das maiores ondas já surfadas do continente europeu.  Grande tipo  Nazaré com ondas que chegam a 18m de altura. Como é um pico que foi descoberto há pouco tempo não tiveram muitos swells surfados ainda, mas os que foram eram imensos. Pra surfar essa montanha de água, só com town-in, e muita coragem.

surfista descendo uma montanha em Belharra

Surfista desafiando uma montanha d’água em Belharra

Waimea

Localizado em Haleiwa, na costa norte da ilha de Oahu no Hawaii, Waimea é um pico histórico. O avô dos picos de ondas gigantes, é conhecido como um dos primeiros lugares onde surfistas se aventuraram em ondas grandes na década de 50. É também onda acontece um dos eventos de surf mais respeitado de todos os tempos,  o torneio de ondas gigantes em memória de Eddie Aikau, o lendário surfista e primeiro salva vidas da costa norte de Oahu. Essa onda que pode chegar a 18m de altura quebra com uma força mortal. Surfistas como Dickie Cross e Donnie Solomon perderam a vida nessa onda. Como disse o surfista havaiano Dennis Pang  “Em Pipeline fica branco quando você está debaixo d’água, em Sunset fica cinza. Waimea é preto.”

grant twiggy surfando uma onda gigante em waimea

O surfista Grant Twiggy em Waimea

CloudBreak

Localizada em Tavarua, na Ilha de Fiji é considerada uma das ondas mais rápidas, e quando as seções se juntam, mais longas do mundo. Um fenômeno raro acontece nessa onda, conforme ela aumenta de tamanho, a perfeição e a velocidade dela acompanha. Quando um swell grande entra, as três seções se juntam formando um tubo épico, perfeito e tão longo que praticamente só dá pra entrar de town in.  Se você resolver dropar a primeira onda da série se certifique que vai conseguir sair dela porque se cair já era, você vai tomar umas quatro ou cinco ondas na cabeça e uma maior que a outra pois as ondas vão crescendo durante a série, fora o fundo raso de corais afiados onde você não vai querer aterrizar. Volta e meia também aparece tubarão por lá. Toda perfeição tem seu preço, não é mesmo?

Mark Healey entubando uma onda perfeita em Cloudbreak

Mark Healey em Cloudbreak

Tags: , , , ,


Sobre o Autor



Voltar ao Topo ↑
  • Fique por Dentro

  • Categorias

  • Agenda de Posts

    dezembro 2017
    D S T Q Q S S
    « maio    
     12
    3456789
    10111213141516
    17181920212223
    24252627282930
    31  
  • Comentários